• redacao@oespaco.com.br
  • (64) 33612 - 1550
image
2024-05-14 22:12:31

Por que quer ser Prefeito?

Em entrevista exclusiva ao Jornal O Espaço o ex-deputado estadual Lissauer Vieira falou de sua pré-candidatura à prefeitura de Rio Verde

 O Espaço – Por que quer ser prefeito de Rio Verde? 
 Lissauer Vieira- Após a perda do meu pai, em fevereiro de 2022, mudei meus planos totalmente para me dedicar aos negócios da família e resolvi dar uma pausa nos projetos políticos. Mas, desde o ano passado, com a situação familiar já equilibrada, comecei a ser procurado pelas pessoas, empresários, produtores rurais e presidentes de entidades classistas para colocar o meu nome à disposição nessas eleições. Entendo que toda candidatura deve representar um projeto coletivo e sua finalidade é resolver os problemas da população. Em 2020, apoiei a reeleição do atual prefeito, por entender que, durante a pandemia, ele estava preparado para enfrentar a questão da saúde. Agora, as pessoas enfrentam outros desafios, como o alto custo de vida em uma cidade que não para de crescer. O próximo gestor precisa ter experiência, habilidade e capacidade de articulação política, que na prática quer dizer, mais dinheiro para o município. Me preparei para resolver esses problemas. Nosso compromisso é garantir que o crescimento não apenas continue, mas que o cidadão também tenha as condições necessárias para crescer junto com a cidade.

O Espaço - O senhor é oposição ao prefeito Paulo do Vale? 
Lissauer - Primeiro, eu não posso ser oposição a ninguém, eu sou a favor de Rio Verde. O que é bom para a cidade é bom para mim. Essa história de ser contra alguém é coisa da política antiga, precisamos mudar essa ideia. Até porque, quando era deputado, destinei emendas para cá, mesmo sabendo que ele ia escolher outra pessoa para ser o seu sucessor. Não enviei recursos pensando em politicagem, ou apoio de A ou B, mas sim pensando nas pessoas e no melhor para nossa cidade. Se fosse nesse pensamento ultrapassado de ser contra alguém, eu não teria enviado essas emendas.
É preciso pensar no melhor para a cidade. Reconheço que Rio Verde teve avanços nos últimos anos, principalmente na saúde. Como Deputado Estadual, contribuí para esse processo. Quem está ligado à política antiga não reconhece o que há de bom no outro, só reconhece o que há de bom em si mesmo. Mas não é assim que devemos viver. É por isso que estou percorrendo os bairros e ouvindo as pessoas. Sou a favor de Rio Verde, o que está bom hoje precisa ser melhorado, o que estiver ruim precisa avançar.


O Espaço - O senhor é mesmo de direita, acredita nesta filosofia ideologia?
Lissauer - Sou cristão, priorizo a família, a liberdade e durante os meus mandatos, trabalhei muito pela valorização da minha cidade e da região que eu represento. Sempre fui de direita porque acredito nos valores que ela defende, e que hoje estão sendo atacados. O que eu aprendi em casa com os meus pais eu não abro mão. 

O Espaço - Ser um bolsonarista e buscar apoio só dos seguidores do ex-presidente não dificulta sua eleição? 
Lissauer - Não vejo por esse lado. Por mais que a gente veja a polarização política ainda muito forte no nosso país, as pessoas buscam políticos que resolvam seus problemas, um Prefeito existe para resolver os desafios e demandas da população. É claro que o apoio do Presidente Bolsonaro ao nosso projeto soma bastante, e reforça nosso compromisso com os valores corretos. Mas, além disso, eu tenho um histórico de trabalho prestado, construí uma trajetória na vida pública de muito esforço e dedicação, não tenho nada que desabone o meu nome e a minha honra. Muito o contrário, tive várias conquistas marcantes e positivas ao longo dos últimos anos e isso desperta a atenção das pessoas que buscam para Rio Verde um gestor qualificado e com experiência administrativa, e não se prenda aos acordos políticos.

O Espaço - Sua candidatura tem apoio do governador Caiado? 
Lissauer - Fui parceiro na condução do Estado. Ajudei, como presidente da Assembleia Legislativa, a sanar as dívidas que Goiás acumulava à época, tendo figurado entre os três piores do Brasil. Com esforço conjunto resolvemos essa situação e Goiás se tornou adimplente. Essa foi a minha contribuição com o Estado e com o governador. Mas, após minha posição contrária a criação da Taxa do Agro, meu voto contra a criação de mais impostos, perdi o apoio do Governador Ronaldo Caiado, que foi o verdadeiro autor desse projeto. Mesmo enfrentando pressão e perdas de apoio político, jamais poderia trair minha cidade, minhas origens e os interesses do setor que tanto contribui para o crescimento de Rio Verde e do Estado de Goiás.

O Espaço - O senador Wilder vai participar da campanha de sua Campanha prefeito?  

Lissauer - Com certeza. Quando comecei a ser procurado para colocar meu nome à disposição nessas eleições, um dos primeiros convites de filiação veio do senador Wilder Morais. Ele logo me convidou para que eu assumisse a presidência do PL em Rio Verde. É um apoio que soma muito ao projeto político que estamos construindo para nossa cidade, e sou totalmente grato pela oportunidade de caminhar junto, não só com o senador, mas também com o Presidente Jair Bolsonaro.

 O Espaço - Quem será o vice: Lucivaldo ou Nayara? 
Lissauer - Estamos conversando com o nosso grupo, mas ainda não é o momento de definirmos esse nome. Agora é hora de ouvir as pessoas e entender suas dores. Nossa preocupação é construir um projeto que tenha as melhores condições para administrar Rio Verde.

O Espaço - Na visão do senhor, a polarização entre direita e esquerda vai interferir no resultado das eleições de Rio verde? 
Lissauer - Não acredito, pois, conversando constantemente com a população rio-verdense eu vejo que as pessoas estão mais preocupadas em eleger um prefeito que tenha condições de resolver os problemas que as pessoas enfrentam, do que se prender a acordos políticos. 

O Espaço - Quais são as prioridades ou o clamor do povo de Rio verde?  
Lissauer - Tenho conversado bastante com as pessoas, eu conheço Rio Verde, moro aqui, vivo aqui, mas não acho que sei de tudo. Tenho ouvido muitas reclamações a respeito do alto custo de vida que temos hoje na cidade, problemas com moradia, aluguéis muito caros, dificuldade para comprar casa própria e mobilidade urbana, já que a cidade tem crescido bastante. Enfim, são questões que afetam completamente a qualidade de vida dos moradores e que estão afastando-as do município. Conversando com a população, vejo que muitos pensam em se mudar para cidades próximas, por conta do alto do custo de vida, e essa história não pode ter lugar aqui. Também ouço pais e mães de família que precisam de dois empregos para poder sobreviver aqui em Rio Verde, por conta do custo de vida, e dos salários que estão abaixo da média do estado. Olha, que qualidade de vida tem um pai de família, que levanta cedo para trabalhar, chega tarde da noite e não consegue ter um tempo de qualidade com seus filhos? Com sua esposa? Que trabalha para sobreviver e não consegue desfrutar de um lazer no final de semana, pois seu salário está todo comprometido para pagar as contas? Rio Verde precisa de mais opções de qualificação dos trabalhadores, é necessário criar um ambiente com mais oportunidades, para que as pessoas consigam crescer e acompanhar o ritmo da nossa cidade.

O Espaço - O senhor sendo eleito, o que muda na gestão, ou, o que está errado na atual administração?
Lissauer - A cidade hoje está bonita, bem cuidada, e não podemos esquecer que enfrentamos uma pandemia há pouco tempo. Eu acredito que o maior avanço dos últimos anos foi, além da questão estética da cidade, a área da Saúde. No momento em que mais precisamos de um gestor que conhece a área, tínhamos um.
Acompanhei e contribuí com os avanços da cidade nos últimos anos. Enquanto deputado estadual destinei mais de R$ 50 milhões de emendas para Rio Verde, e sei que é possível buscar mais; articulei obras e investimento com governos estadual e federal, por exemplo a Plataforma Multimodal, que fortalece toda a logística do agronegócio. Ela seria em outra cidade, mas fizemos um trabalho de articulação na Assembleia Legislativa para trazê-la para Rio Verde. 
Agora, os desafios de Rio Verde são outros, vejo a cidade caminhando para outro momento, o do desenvolvimento sustentável. É preciso manter tudo que foi feito de positivo, e avançar nas áreas que a população mais precisa. Tem que parar com esse negócio de que quando entra um prefeito desfaz o que o anterior fez. Isso é coisa de política do passado, não cabe mais nos dias de hoje. Precisamos muito avançar na habitação, na qualificação profissional e na oferta de empregos com salários dignos, que sejam compatíveis com o atual custo de vida da cidade para que nosso progresso continue e toda população colha seus frutos.

 

BIOGRAFIA

Pré-candidato a prefeito de Rio Verde nas eleições de 2024 pelo Partido Liberal (PL), Lissauer Vieira é ex-deputado estadual por dois mandatos e ex-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) por duas gestões consecutivas (fevereiro de 2019 a janeiro de 2023), sendo o primeiro presidente a conseguir ser reeleito no Legislativo Estadual. 

Lissauer cresceu em Rio Verde, onde iniciou sua trajetória política ainda jovem, aos 16 anos. Em 2012 coordenou uma coligação vitoriosa de reeleição para prefeito e vereadores do município. Em 2013 assumiu a Secretaria Municipal de Comunicação da cidade, permanecendo no cargo até 2014, quando foi eleito, com 29.676 votos, para o seu primeiro mandato como deputado estadual. Em 2018 foi reeleito para o seu segundo mandato com 37.550 votos e em fevereiro de 2019 assumiu a presidência da Casa de Leis para o biênio (2019-2021). Em outubro de 2019, Lissauer foi reeleito por unanimidade presidente da Alego para mandato que se iniciou em fevereiro de 2021 e concluído em janeiro de 2023. Outra conquista desse período foi a posse no cargo de presidente das Assembleias Legislativas do País, em fevereiro de 2020, uma diretoria da União dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). 

 Municipalista, representou no Legislativo goiano a região Sudoeste do Estado, em especial a cidade de Rio Verde. Defensor incansável da bandeira do agronegócio, saúde, educação, moradia e de tantas outras demandas de interesse popular, Lissauer se destacou como um dos melhores parlamentares do Estado. À frente da Alego, ele conduziu sua gestão amparado nos pilares do diálogo, da transparência e da independência. 

Nos dois mandatos de deputado estadual, ele presidiu diversas comissões parlamentares, como a Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo; a Frente Parlamentar do Agronegócio e integrou a Frente Parlamentar de Combate à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente, além de ser titular e suplente de várias outras comissões.

Naturalidade: Coronel Bicaco – Rio grande do Sul
Filiação: Carlos Vieira e Cecília Zanella Vieira
Esposa: Kamila Amarante Vieira - Filhos: Carlos Vieira Neto e Maria Eduarda