Home - Editorias - Segurança Pública - Ten. Cel. Marreiros traz mais segurança para Rio Verde
Ten. Cel. Marreiros traz mais segurança para Rio Verde
Dom, 31 de Março de 2019 18:59
“Implantamos uma rotina operacional que começa às 4 da manhã e que funciona 24 horas por dia. As Operações Bom Dia Cidadão e Embarque Mais Seguro reduziram os furtos nas primeiras horas do dia. Depois, acompanhamos as entradas e saídas de alunos. Temos ainda as Operações Comércio Mais Seguro e Praça Mais Segura, além de abordarmos pessoas nos pontos de “boca de fumo”. Com essa rotina operacional e o empenho da tropa nas ruas conseguimos relevante diminuição dos crimes em todas as suas modalidades, na cidade.” Disse o Ten. Cel. Marreiros.
Em entrevista exclusiva ao Jornal O Espaço, o Tenente Coronel Jorge Luiz Marreiros, comandante do 2º Batalhão e 8ª Regional da Polícia Militar, que fala sobre seu trabalho em Rio Verde, objetivando a segurança pública e a paz social.

     O Espaço – O senhor chegou em Rio Verde com uma nova missão. O que vai mudar nas operações policiais com a sua chegada, aqui?
    Ten. Cel. Marreiros –
Viemos aqui pela indicação do nosso comandante geral, o Coronel Bruno, e do prefeito Paulo do Vale, com a missão de trazer mais segurança para a cidade.
    Temos uma rotina operacional que começa às 4 da manhã, com as Operações Bom Dia Cidadão, Embarque Mais Seguro. Depois, trabalhamos também com a segurança nas escolas, acompanhando as entradas e saídas de alunos. Temos ainda a Operação Comércio Mais Seguro, nas áreas comerciais da cidade; temos ainda a Operação Praça Mais Segura, onde passamos pelas praças abordando algumas pessoas e identificando usuários de drogas e aquelas pessoas que podem estar ali, para cometer crimes, dando liberdade e tranquilidade para aqueles que estão ali, para fazer bom uso das praças. Durante todo o dia, estamos efetuando abordagens nos pontos de “boca de fumo”.
    Nós queremos deixar as ruas para os cidadãos e não para os meliantes. Por isso, polícia nas ruas; polícia presente; polícia abordando, para que possamos diminuir a cada dia, os índices de crimes em Rio Verde.

    O Espaço – A verdade é que os usuários de drogas estavam tomando conta de várias praças na cidade.
   Ten. Cel. Marreiros –
Sim. Eu mesmo fui fazer uma caminhada no Espelho D’Água, e chegando lá, encontrei várias pessoas e vários meliantes na quadra esportiva, jogando bola e fazendo uso de entorpecentes. Chamei a viatura; conduzimos alguns para a delegacia e decidi que também ali, a partir daquele dia, não queria mais aquela situação.
     A Guarda Civil Municipal também tem dado esse apoio na fiscalização das praças e nas ruas, em conjunto com a Polícia Militar. Estamos trabalhando de forma integrada e temos também, o serviço de inteligência com o Delegado, doutor Danilo Fabiano, trabalhando com as situações pontuais de Rio Verde.
    Com esse trabalho, já trouxemos bons resultados, principalmente, com relação aos roubos a transeuntes no decorrer do dia e ainda aos trabalhadores que saem no período das madrugadas, incluindo os furtos a comércio e residências. Os homicídios também reduziram com essas operações.
    Então, com essa rotina operacional e o empenho da tropa nas ruas conseguimos relevante diminuição dos crimes em todas as suas modalidades, na cidade.

     O Espaço – O senhor entende que aqueles assaltos relâmpagos ao comércio, normalmente cometido por dois motociclistas, diminuíram também
    Ten. Cel. Marreiros –
Pode ter certeza que sim. Os próprios indicadores já mostram isso. Todas as ocorrências são registradas e acompanhadas pelo Núcleo de Inteligência e na aferição e análise da Polícia Militar.
    Isso é resultado de todas essas operações que colocamos na prática, inclusive, mesmo antes daquele fato ocorrido em São Paulo, quando dois jovens invadiram uma escola e mataram várias pessoas, nós, aqui, já havíamos implantado a Operação Segurança nas Escolas, que é colocar uma viatura nas portas das escolas para que os policiais façam visitas às escolas e também abordagens, principalmente, no Colégio Gigantão, mas em todas as demais, sejam municipais, estaduais ou particulares, incluindo aí, as universidades.
    Somente nessas ações direcionadas às escolas, efetuamos muitas prisões e apreensões de drogas e armas, além de brigas e ameaças.

    O Espaço – A cidade cresceu e veio muita gente de fora. Esse crescente número de usuários está relacionado à migração dessas pessoas?
   Ten. Cel. Marreiros –
Essa questão, atualmente, é nacional e social. O uso de drogas e o abandono de dependentes por parentes que deveriam proteger. Com isso, essas pessoas abandonadas, sem condições de se tratarem, fazem das ruas as suas casas e também seus negócios e meios de se ganhar dinheiro para alimentar o vício.
   Nesse universo, a prática micro tráfico e do tráfico se torna comum e fácil, assim, temos intensificado nossas ações no sentido de coagir essas práticas e ainda, de através de um trabalho bem planejado, alcançar aqueles que praticam o macro tráfico, que é o tráfico de drogas em altas quantidades.

    O Espaço – O delegado, doutor Danilo, tem falado muito da ação conjunta entre as forças de segurança da cidade. O que o senhor tem a falar sobre isso?
    Ten. Cel. Marreiros –
Essa ação conjunta tem funcionado muito bem e os resultados têm sido altamente positivos. O compartilhamento de informações entre a polícia militar, os bombeiros, polícia civil, guarda municipal e até do sistema prisional. Veja bem, o compartilhamento de informações com o sistema prisional é tão importante, que através dele, sabemos que são os criminosos que são colocados em liberdade, nas ruas. Dessa forma, todos os bandidos soltos são monitorados e suas localizações são identificadas. Assim, sempre que ocorrer um furto, assalto ou homicídio, já temos um endereço e uma pessoa para procurar e investigar.

  O Espaço – O Brasil elegeu um presidente militar e agressivo no sentido de atacar duramente a criminalidade. O senhor acha que as atitudes do Presidente vão incentivar a violência policial?
    Ten. Cel. Marreiros –
O que a Presidente prega não são ações violentas contra a comunidade, mas sim, mais repressivas contra os bandidos e os transgressores da lei.
Acho que a mensagem do Presidente Bolsonaro é no sentido de somente combater o crime, inclusive, seguimos uma linha de conduta que objetiva em cada abordagem, fazer um amigo ou prender um criminoso.
   Entendemos que fazer um amigo é cuidar da pessoa de bem; quando na abordagem identificamos que uma pessoa é do bem, fazemos amizades e sabemos que temos que cuidar dele, porém, se na abordagem, verificarmos que ele é um ladrão, um bandido, um transgressor da lei, vamos trata-lo como tal. A polícia precisa saber fazer essa separação e trazer a sociedade para o nosso lado, nos apoiando e denunciando ações criminosas.
    A minha mensagem para a tropa é que somos servidores públicos e temos que prestar um excelente serviço para a população, com qualidade, desde ao cidadão mais simples e humilde, quanto para o grande empresário ou político.

   O Espaço – Qual é a mensagem de tranquilidade que o senhor deixa para os rio-verdenses?
   Ten. Cel. Marreiros –
Aproveito para pedir um voto de confiança ao meu trabalho e ao trabalho da polícia militar aqui de Rio Verde. Somos e estamos abertos à população a qualquer crítica, sugestão e também a qualquer denúncia. Quero dizer ainda, que estamos atentos às demandas da população e determinados em resolvê-las, afirmando que Rio Verde será uma cidade mais segura.

Bookmark and Share
PUBLICIDADE
Copyright © 2010-2019 - Todos os direitos reservados à seus respectivos autores
Página Inicial
Editorias
Rio Verde
Jataí
Serviços
Previsões
Utilidade Pública
Classificados
Anuncie
Expediente
Contato