Home - Editorias - Política - MDB de Rio Verde volta a ter Diretório
MDB de Rio Verde volta a ter Diretório
Ter, 08 de Janeiro de 2019 08:50
“Como é sabido, estávamos como Comissão Provisória há muito tempo e, no final do outubro último, decidimos a mudar essa condição. A eleição foi em primeiro de novembro. Fizemos tudo muito rápido porque na minha opinião, partido, para crescer, precisa ter um diretório.” Disse o vice-presidente do MDB de Rio Verde, Manoel Cearense.
O Espaço – Quando foi feita a Convenção do MDB de Rio Verde, transformando a condição de Comissão Provisória do partido, para Diretório?
     Manoel Cearense –
Como é sabido, estávamos como Comissão Provisória há muito tempo e, no final do outubro último, decidimos a mudar essa condição. A eleição foi em primeiro de novembro. Fizemos tudo muito rápido porque na minha opinião, partido, para crescer precisa ter um diretório.
     Esse crescimento era uma preocupação nossa, já que como Comissão, abria possibilidades para certos conflitos internos. Alguns membros saíram do partido; outros, mesmo internamente, estavam apoiando candidatos diferentes.
     O fato é que realmente não poderíamos continuar com essa Comissão; deveríamos há algum tempo tê-la transformado em Diretória e feito a divisão de responsabilidades com todos emedebistas, não deixando tudo na mão de quatro ou cinco pessoas.

O Espaço – Quem são os membros da Executiva do MDB?
     Manoel Cearense –
Está formada da seguinte maneira: o Tchequinho como presidente; eu, Manoel Cearense como o primeiro vice-presidente; o Isaac Portilho como segundo vice-presidente; Geraldo de Souza, o Geraldo do Bilú, como tesoureiro; e, Garibalde da Silveira Leão como secretário. Depois, vem os vogais: Jair Ribeiro, que é tradicional; a Drª Wdinéia, que foi candidata; e, o Mário Furacão.

O Espaço – Qual é a estratégia dessa direção, para juntar todos os emedebistas tradicionais que se dividiram e os que estão afastados das atividades do partido?
     Manoel Cearense –
Veja bem... Até eu já errei no passado, não votando uma vez em candidato do partido. Mas o MDB é um partido que provoca paixão, assim, todos aqueles que são verdadeiramente emedebistas, automaticamente vão regressar para o partido. De qualquer forma, vamos fazer a nossa parte, aproximando e convidando-os para nos ajudar nas tarefas que objetivam fortalecer o MDB e torna-lo maior; vamos agigantá-lo para ser digno do tamanho e da importância da cidade de Rio Verde.

O Espaço – O Partido já está se preparando para as próximas eleições de 2020?
     Maoel Cearense –
Sem dúvida! Como a Fénix, o MDB ressurge das cinzas. Pode-se analisar o seguinte: No passado, quando o Arcélio e outros membros também importantes deixaram o partido, tivemos nomes para apresentar no momento seguinte. Conseguimos ter um bom candidato que foi o ex-deputado Padre Ferreira, que aos 49 minutos do segundo tempo, “deu aquela fugida”, que no meu entender é característica dele. Mesmo assim, o substituímos pelo Wagner Guimarães, fomos para o embate e perdemos as eleições para o saudoso Paulo Roberto Cunha, pessoa que tinha liderança no meio político, mas, que apesar disso, a nossa derrota foi por apenas 298 votos. Com isso, dentro do MDB, o Wagner se tornou liderança e ganhou duas eleições para deputado estadual.
Depois que o Wagner Guimarães deixou o partido, alguns até pensaram que o partido não tinha mais espaço e iria se diminuir. Mas, não! Veio o Prefeito Paulo do Vale que também ganhou as eleições.
     Observem que depois disso tudo, nas últimas eleições, o partido apresentou dois candidatos a deputado estadual e dois a federal. Se foram bem ou mal votados, ganhamos do Governador José Eliton aqui em Rio Verde, mesmo ele estando sentado na cadeira.
     Então, não há o que discutir! O MDB é partido que provoca paixão e por isso, pode até cair, mas se levanta e vai para a luta em seguida, porque sempre terá alguém representando bem este partido.

O Espaço – Já tem muitos políticos manifestando interesse em vir para o partido?
     Manoel Cearense –
Sim! Tem ex-filiados; tem gente que nunca foi filiada ao partido, inclusive, temos um importante empresário que quer vir, também, inclusive, conversou com outros membros da nossa Executiva. Há uma procura muito grande de vereadores e ex-vereadores que também manifestaram interesse em filiar ao MDB e é claro, todos serão aceitos.

O Espaço – Há comentários de que o ex-deputado Heuler Cruvinel tem interesse em vir para o partido. Existe essa possibilidade?
     Manoel Cearense –
Não sei se ele quer vir, mas, acho que um dos grandes motivos por termos perdido a eleição em Rio Verde, foi o fato de ele ter sido o vice. Politicamente falando, o Heuler é um político que teve um suicídio precoce... É um político que perdeu a credibilidade da maioria dos rio-verdenses. Ele, como vice, colocou a frente da campanha algumas pessoas erradas. Engolimos seco e toleramos certos comentários de pessoas que alegavam não votar no Daniel porque o Heuler seria o vice.
     Particularmente, sou radicalmente contra a vinda dele para o partido; vejo isso como outro suicídio político para nós emedebistas. Como vamos trazer para dentro do partido uma pessoa que não agrada a maioria da população? Talvez poucos saibam, mas, no comitê central dele, muitas pessoas estavam trabalhando para elegerem Maroni Perilo, senador; eles estavam trabalhando para os maiores e históricos adversários políticos do nosso partido.
     Vejam bem... Nós estávamos há vinte anos lutando para tirarmos esse pessoal do poder e no fim, tínhamos um integrante que estava trabalhando para esse povo. Isso foi um arraso e um desastre para a nossa campanha.
Tenho certeza que nenhum emedebista vai aceitar essa filiação, inclusive, não adianta vir de cima para baixo, porque aqui, hoje, tem um Diretório autêntico e, essas mesmas pessoas há anos peitaram o Paulo Roberto quando ele quis filiar ao partido. Então, não é uma pessoa como o Heuler, politicamente liquidada, que será aceita para filiar ao MDB, ainda cantando como galo.
     Heuler Cruvinel hoje, é um político não tem a moeda corrente da política, que é a “palavra”; não tem luz própria, tanto, que só ganhou duas eleições, quando o ex-prefeito Juraci Martins agarrou em seu braço e o elegeu. Depois disso, o que ele fez foi trocar os pés pelas mãos. Não deu conta de sobreviver após a gestão do ex-prefeito Juraci.

O Espaço – O senhor é delegado do Diretório Estadual. Qual é o seu posicionamento para a reforma do Diretório?
     Manoel Cearense –
A reforma será feita ainda neste mês. Tenho candidato, porém, não vou falar porque não sei se posso fazer isso. Mas, acredito que ele é o melhor nome para continuar a frente do MDB. Trata-se de uma pessoa nova e creio que o partido precisa continuar marchando com emedebistas de nascimento.

O Espaço – O senhor tem mais alguma coisa para dizer?
     Manoel Cearense –
Somente agradecer e reafirmar que o partido está aberto a toda militância política de Rio Verde.
Bookmark and Share
PUBLICIDADE
Copyright © 2010-2019 - Todos os direitos reservados à seus respectivos autores
Página Inicial
Editorias
Rio Verde
Jataí
Serviços
Previsões
Utilidade Pública
Classificados
Anuncie
Expediente
Contato