Home - Editorias - Cidade - Rio Verde 173 anos
Rio Verde 173 anos
Dom, 08 de Agosto de 2021 11:46
Rio Verde é a quarta cidade do Estado de Goiás e há muito tempo já se tornou uma gigante conectada com o mundo dos negócios, principalmente, do Agro, que dia a dia se firma como importante polo de tecnologia e pesquisa, atraindo investimentos internos e externos
Rio Verde é conhecida nacionalmente por sua capacidade de produção de grãos, criação de animais, comércio forte e posição geográfica favorável, o que garantiu o surgimento e deslocamento de grandes empresas ligadas à agricultura e ao agronegócio. A cidade, princesa do sudoeste goiano, dispensa apresentação, mas, é sempre muito importante deixar registrado que é um dos municípios brasileiros digno de deferência, tendo em vista o seu desenvolvimento nas últimas décadas.

A aniversariante, que completa 173 anos é considerada grande segundo os padrões do interior do Estado de Goiás, sendo a terceira colocada entre todas e uma das melhores do Brasil para morar e se fazer carreira profissional, mesmo nesse período de crise política e econômica em nível mundial e principalmente, no Brasil. A cidade continua oferecendo aos seus cidadãos legítimos e àqueles que se mudam de outras localidades do País, principalmente de Estados do Nordeste brasileiro, oportunidades e considerável qualidade de vida. Um fator importante para isso, é que o solo da região é fértil, possuí clima excelente e se localiza em ponto estratégico para as empresas ligadas ao setor, o que a faz conservar fontes de riqueza e distribuição de prosperidade para os que conseguem trabalho.

Segundo estimativas de 2020, sua população é de 241.518 habitantes, sendo o quarto mais populoso de Goiás, ficando atrás apenas da capital – Goiânia – e das cidades de Aparecida de Goiânia e Anápolis.

A expansão populacional é realmente muito grande e pode ser melhor percebido se buscar dados mais antigos. Em 2007 o município contava com 149.380 habitantes; em 2015, 207.292 e, em 2020, 241.518 habitantes.

A colonização de Rio Verde começou no início do século XIX. Na época, ap¬enas a pecuária era explora¬da e isso continuou até quase o final do século XX, nos anos 70. A partir dali, com a chegada de produtores do sul do País, também dos paulis¬tas e dos americanos e rus¬sos que formaram colônias, começou a produção de grãos. Naquela época, o at¬ual município de Montividiu fazia parte de Rio Verde.
Naquela época, mesmo sendo pecuaristas pobres e sem muita informação, já vendiam gato para São Pau¬lo, Rio de Janeiro, Paraguai, Argentina e diversos outros países da América do Sul.

Havia grande produção de leite, queijos e deriva¬dos que se estenderam até os anos 70, A produção na agropecuária era muito rica, mas, a agricultura era apenas de subsistência, o que mudou com o aumento da produção de milho e soja e ainda, com a implantação da Cooperati¬va Mista dos Produtores Ru¬rais do Sudoeste Goiano, a COMIGO, que veio também para diversificar os negóci¬os no campo e fazer surgir o agronegócio.

No final do século XX chegou a Perdigão, atual BRFoods, que definitiva-mente consagrou o futuro da agroindústria na região, em¬pregando, gerando empregos e produtos do agronegócio.

Hoje, o município é rico em todos os aspectos ligados ao campo, não podendo deix¬ar de mencionar a presença da alta tecnologia, com a qual se consegue aumentar produtividade não apenas de grãos, mas de animais nas grandes granjas e fazendas da região.

Fato importante, é que todas essas riquezas também tiveram lugar por causa da festa de exposição agro¬pecuária, que teve efeito di¬vulgador de tudo que se pro¬duziu e continua produzindo no campo.

Enfocando a cultura, a primeira expressão de cultu¬ra foi a banda de música que começou em 1893; depois, vieram as cavalhadas, que encantaram o povo até 1915; a partir de 1911 as bandas de carnaval se tornaram popu¬lar e, em 1925 o município teve o primeiro grupo de teatro. Nos grupos de teatro tinha expoentes como César da Cunha Bastos e Freder¬ico Jayme. A elite fazia parte desses grupos, que se forta¬leceram até os anos 50.

Depois disso, surgiu o cinema. Tinha o Cine Rio Verde, o Cine Bagdad e de¬pois, o Cine Presidente. A projeção de filmes em salas comerciais garantiu es¬paço até os anos 80, quando começou a ceder lugar para as fitas de vídeo cassetes e filmes na TV.
Rio Verde gestou artistas e cantores como Rony Car¬doso, que cantou no Progra¬ma do Chacrinha, do Bolinha e Raul Gil. Também teve na região, Nilton Lamas, que foi considerado brega, mas que se projetou junto com a cidade e ficou conhecido no País.
A partir de 1982, o mu¬nicípio começou a contar com Filadelfo Borges, como escritor e historiador, contan¬do a vida de autoridades políticas e do povo.

Hoje, Rio Verde é uma cidade que respira cultura, setor muito valorizado na administração Paulo do Vale, tendo à frente da fundação, Isaac Pires.
Na virada do século, com o maior complexo agroindustrial da América Latina, implantado pela Perdigão, hoje, BRFoods, estabeleceu-se um ponto inicial para o avanço do processo de produção do setor agropecuário em Rio Verde. Daí em diante, o próprio setor privado puxou o progresso que era inevitável, pois com isso, outras grandes empresas vieram para a cidade e se concentraram de forma a servirem umas às outras, com a finalidade principal de se tornarem mais competitivas, consequentemente, aumentando as vendas e a geração de empregos, que ainda se mantém pulsante, apesar das demissões e número de desempregados, em face de situação mundial.
Empresas como a Brasilatas, a Orça Celulose e a Videplast Centro-Oeste, entre outras, que atuam no setor de embalagens; frigoríficos, que atende o mercado interno e externo no comércio de carnes; a empresa Cereal Alimentos e muitas outras gigantes do mercado, que paralelamente elevaram o comércio de alcance local além das fronteiras. A rede de hotéis, bares, restaurantes, clubes recreativos e esportivos se mantêm em número satisfatório, com qualidade de atendimento, o que dá sustentação para o setor turístico na região e entretenimento da própria população.

Neste início Rio  Verde vive o boom da virada do século, com a chegada da empresa Perdigão, hoje, BRFoods, pois há grande expectativa da inauguração da grande Plataforma Multimodal, onde a empresa Rumo, já investiu mais de 400 milhões de reais e gerou quase 2 mil vagas de emprego. A Plataforma está sendo construída pela empresa Rumo SA em uma área de 250 hectares, doada pelo Município por meio do Programa de Desenvolvimento Econômico de Rio Verde (Proden-RV), aprovado pelos vereadores na Câmara Municipal.

Além disso, a instalação de um complexo de combustíveis dentro do Complexo de Rio Verde permitirá que distribuidoras façam o escoamento para mercados importadores de São Paulo e o recebimento e distribuição de derivados na região. A capacidade de transporte é de 11 milhões de toneladas por ano e movimentará cerca de 1.200 caminhões Bitrem por dia. (Fonte: ABTC).

Em mais esse aniversário e diante do desenvolvimento do Município, é necessário lembrar a importância das faculdades e universidades instaladas em Rio Verde, que estão diretamente vinculadas ao setor produtivo, cumprindo funções e tarefas diversificadas, principalmente, o de contribuir para o desenvolvimento econômico-social, justamente, pela disponibilização de suporte científico e tecnológico. A universidade através de seu papel de ensino, pesquisa e extensão, possui em suas mãos, elementos de grande importâncias e essenciais para este desenvolvimento. Em contrapartida, o setor produtivo, precisa das universidades, dos recursos humanos preparados e tecnologia, para serem utilizados no seu funcionamento, permitindo que o setor enfrente um ambiente de alta competitividade e globalizado. O quadro real desses importantes centros de ensino em Rio Verde, são presentes nas turmas de cerca de uma centena de cursos oferecidos pela UniRV – Universidade de Rio Verde, Faculdades Objetivo, Faculdade Almeida Rodrigues e IFGO – Instituto Federal Goiano, que são físicas. Além dessas, existem várias outras não presenciais, que também formam e capacitam centenas de pessoas, todos os anos, que colaboram significativamente no crescimento e desenvolvimento da cidade.

Pelo seu desenvolvimento, o município lança a nova marca da cidade Centrada na frase “RioVerdeGo, Cidade Conectada com o Futuro”, a marca expressa a ideia que a atual Gestão tem de levar Rio Verde para a frente e evoluir cada vez mais rumo ao futuro.
Bookmark and Share
PUBLICIDADE
Copyright © 2010-2021 - Todos os direitos reservados à seus respectivos autores
Página Inicial
Editorias
Rio Verde
Jataí
Serviços
Previsões
Utilidade Pública
Classificados
Anuncie
Expediente
Contato